Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
COMUNICAÇÃO
7 de novembro de 2017

Abertura do Seicom debate sobre políticas de comunicação e pesquisa

Intermídia, transmídia e crossmídia são as palavras-chave do XIV Seminário Internacional de Comunicação
Por Janaina Rauber

Políticas de comunicação e pesquisa foi o assunto da primeira noite (Foto: Nícolas Chidem)

A abertura do XIV Seminário Internacional de Comunicação (Seicom) foi marcada por um auditório lotado no prédio 40 da PUCRS. Com o tema “Mídias em transformação: intermídia, transmídia e crossmídia”, o Seminário acompanha a complexificação contemporânea em torno da comunicação paralelamente com questões sobre tecnologia.

No início da noite, a diretora da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS, Cristiane Mafacioli, convidou a professora e Pró-Reitora Acadêmica da PUCRS, Mágda Cunha, para realizar uma homenagem para Doris Haussen, ex-professora e criadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) do prédio 7.

Após a homenagem, deu-se início à conferência do dia. Políticas de comunicação e pesquisa foram o assunto debatido na primeira noite. Com a mediação da Profa. Dra. Cláudia Moura, os pesquisadores Philippe Joron e Fabio La Rocca da Universidade Paul Valéry Montpellier III ,da França; e Antônio Hohlfeldt e Juremir Machado da Silva, da PUCRS, falaram sobre essa questão que envolve todas as faculdades do mundo.

Joron explicou o contexto universitário da faculdade que leciona e quais as principais diferenças entre a França e o Brasil. Após isso, ele abordou a sociologia como meio de ensino. Durante sua fala, ele questionou aos presentes no teatro o que realmente é sociologia. Ele afirmou que os sociólogos da França (incluindo ele) reivindicam por uma sociologia pluralista. “Queremos uma sociologia que aceita diversas opiniões  e que não possua apenas uma definição”, relata. Por fim, ele pontua que é importante pensar na sociedade e na sociologia como algo junto.

Fabio La Rocca iniciou sua fala comparando pesquisa e democracia. Ele conta que um elemento importante para a democracia da informação foi o cinema, tratando-o como um objeto de pensamento. Sobre o mundo da pesquisa ele diz que existe uma grande ditadura envolvida ainda. “Tem que ache que pesquisa qualitativa e pesquisa participante não são uma ciência”, comenta. O professor também afirma que, no ato da pesquisa, o pesquisador deve estar constantemente atualizado. “Isso é muito importante. A ideia é ter movimento, o pensamento é uma ideia de atualização, para que possamos evoluir”, reflete.

Hohlfeldt, em sua vez, falou sobre o país em crise e os problemas causados por ela na comunicação e na pesquisa. Entre essas consequências está a falta de bolsas de pesquisa. “Os alunos estão aumentando e as bolsas não”, observa. Além disso, ele também destaca que estão diminuindo o número de alunos na graduação. “A natalidade baixou drasticamente. Se não temos jovens não temos alunos”, revela. Ele reforça: a tendência é que o Brasil siga o rumo de países europeus com baixa natalidade. Vamos ter que nos adaptar a isso. Uma das soluções apresentadas é a atualização constante, porém ele não acredita apenas na tecnologia. “Se a universidade deixar de ser um encontro entre pessoas eu, sinceramente, quero deixar de ser professor. Temos que acompanhar as universidades, mas acredito que é pior quando nos submetemos apenas ao presente e esquecemos como chegamos até aqui”, ressalta. De acordo com ele, repensar os espaços ocupados é imprescindível para lutar contra a crise financeira do país.

“Como se escreve a comunicação? Será que a tecnologia e o fim do livro farão bem para a área?”, questiona Juremir Machado no final da primeira noite de Seicom. Ele debate sobre as regras que envolvem essa área de trabalho. Juremir acredita que existem diversas formas da comunicação ser escrita, mas que não estão sendo usadas. “Existe espaço para o inusitado no meio acadêmico? Tem espaço para o diferente? Tem espaço para a ousadia? Precisamos discutir sobre isso”, afirma. Ele conta que a possibilidade de apenas uma pessoa, uma opinião, julgar a escrita de alguém é pavorosa. “Eu acredito que é preciso ter a marca de personalidade, temos que acreditar profundamente na pluralidade”. Ele completa: esse é o momento da gente pensar sobre uma ciência argumentava e mais generosa.

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org