Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
TECCINE
29 de outubro de 2014

Conversa sobre indústria do cinema encerra seminário

Diretores e roteiristas Paulo Nascimento e Liliana Sulzbach participaram da palestra
Por Giovana Fleck
Foto:  Heike Knebel

Foto: Heike Knebel

No final da tarde dessa quarta-feira (28), o auditório da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) foi preenchido por histórias e recordações dos bastidores do cinema nacional. O debate Trocando Experiências para o Futuro concluiu o seminário A Vida em Fatias – Conversas sobre Séries de Tv, o qual, segundo o professor e mediador Carlos Gerbase, foi “brilhantemente fatiado”.

O bate-papo sobre as experiências compartilhadas ficou por conta dos palestrantes convidados Liliana Sulzbach e Paulo Nascimento. Ambos cineastas dispõem de longos currículos relacionados ao audiovisual, porém, se destacam seus trabalhos mais recentes.

Nascimento esteve envolvido, neste ano, na produção e direção da série Animal, para o canal GNT. A trama se concentra na busca da cura de uma doença rara pelo protagonista (interpretado por Edson Celulari) que volta à fictícia cidade fronteiriça de Monte Alegre em busca dos estudos feitos pelo pai, de quem herdou a teriantropia, distúrbio que faz com que ele, em momentos de crise, pense ser um animal (no caso, um puma).

Segundo o diretor, que inciou no mercado a partir de produções independentes, trabalhar para um canal fechado foi um desafio, mas não a principal dificuldade. A adequação a públicos específicos foi o maior obstáculo a ser superado. Para Nascimento, séries de gêneros como comédia já estão inseridos na identidade dos espectadores brasileiros, tornando difícil a inserção de conteúdos mais dramáticos. “É difícil entender o público da série brasileira”, afirma. “Animal não tem referência nenhuma, é uma mistura de gêneros. Logo, tivemos de repensar o quanto poderíamos ousar na série para evitar estranhamentos”, completa.

Liliana está, atualmente, envolvida na pré-produção de duas séries, previstas para serem lançadas em breve. Embora se caracterize como uma “entusiasta de seriados”, a diretora tem focado na elaboração de documentários nos últimos anos. Em 2012, lançou seu último curta-documental intitulado A Cidade, que trata de forma bucólica a história da região de Itapuã, nos arredores de Porto Alegre, uma localidade com apenas 35 moradores. Um site está sendo montado para complementar o documentário, trazendo mapas e vídeos interativos que organizam o conteúdo de uma maneira diferente e proporcionam maior imersão do público. Para a diretora, “a arte é saber conciliar e contar boas histórias na melhor plataforma existente”.

Ao abrir o evento para perguntas, os cineastas foram indagados sobre a melhor forma de produzir roteiros e conteúdos para a TV em geral. A resposta foi clara e objetiva: tudo depende do rumo dado à história, que deve sempre avançar e, em raras ocasiões, retroceder. Para eles, o apoio de todo bom roteiro se dá através do “tripé das boas narrativas”, ou seja, ter bons personagens, uma boa história e escolher o canal para articular o trabalho. “Tem espaço para tudo, é só uma questão de saber adaptar”, conclui Nascimento.

 

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org