Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
JOGOS DIGITAIS
19 de abril de 2012

Ex-famequiano lança game para smartphones

Por Marcos Westermann
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Há três anos, quando os smartphones ainda começavam a entrar com força no mercado, André dos Santos (30), jornalista graduado na Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS, e Alfredo Barcellos (28), formado em Ciência da Computação na UFRGS, sentiam falta de ter jogos legais em seus celulares. Decidiram, então, tentar mudar esse cenário. Criaram a empresa Kayumo, e como lançamento o game Gate Defenders. Lançado no início de abril, vem em uma ascendência nos gráficos da Google Play (loja virtual do Android) e já registra mais de 500 downloads.

Confira a entrevista:

Espaço Experiência: Quando e como surgiu a ideia de fazer um game para smartphone?

Santos e Barcellos: Em julho de 2009 a gente  participou de um evento sobre games em Florianópolis. Depois disso, começamos a conversar para fazer alguma coisa independente. O Alfredo já estava formado, e outros amigos nossos estavam perto disso. Além disso, estava todo mundo vendo que o mercado não estava muito fácil. Sabe como é, o pessoal queria ganhar uma grana (risos). Aí a gente reuniu alguns amigos, acho que sete, pra começar. Uns eram da área de informática, outros que só curtiam jogar. Aquele negócio: as pessoas querem, mas não com força suficiente. No fim das contas, ficamos só eu e ele.

EE: E por que esse estilo de jogo?

Santos e Barcellos: Costumávamos fazer algumas anotações baseadas numa tendência de jogos, que eram os tower defense. É um joguinho de estratégia em que tu tens umas torrezinhas e precisa defender um lugar. Com isso, a gente queria criar algo que fosse nesse estilo.

EE: Desde o início, vocês pensaram em um jogo para smartphone. Por quê?

Santos e Barcellos: Nossa grande motivação era de que não tinha jogo bom ali. Ficávamos frustrados. Pensamos em fazer um jogo bom. E assim, começamos a trabalhar em cima.

EE: O jogo ainda é apenas para Android. Vocês pensam em passar para outras formas, como iOS (Apple) e Windows Phone?

Santos e Barcellos: No início, nós nem estávamos prestando muita atenção no Android. Começamos no JAVA ME e, por causa da linguagem limitada dele, tivemos muita dificuldade de passar pra Android, que tinha só um aparelho na época. Não demos muita importância naquele momento, mas um ano depois teve o boom do Android, e não tivemos escolha. Tivemos de migrar totalmente. Isso gerou muitas complicações, principalmente porque esse sistema tem vários tamanhos de tela. Sobre colocar no iPhone, sim, sem dúvidas. Existe um programa que faz essa portabilidade, e não deve demorar muito pra que isso aconteça. Os próximos jogos já serão produzidos para os dois formatos, em no máximo três meses.

EE: Quanto tempo demorou para o jogo ficar pronto?

Santos e Barcellos: Dois anos, porque a gente é amador. (risos) Fizemos tudo do zero, a máquina virtual do jogo, inclusive, sendo que não se faz isso. O próprio Angry Birds não tem nada disso. Os próximos jogos vão levar seis meses, vão vender mais e vão ser mais bonitos.

EE: Vocês já sabem sobre o que serão esses próximos jogos?

Santos e Barcellos: Só vamos adiantar que são jogos que utilizam a física, como Angry Birds. No entanto, não gostamos de cópia.

EE: O Gate Defenders é um jogo rápido?

Santos e Barcellos: As partidas do quickgame podem ser jogadas em 10 minutos. Em torno de 5 a 10 minutos, o cara joga uma partida. Já o modo história é um pouco mais elaborado.

EE: O jogo de vocês tem duas versões, uma paga e outra free. Qual a diferença entre eles?

Santos e Barcellos: No pago, tem mais conteúdo e vai continuar recebendo atualizações. Pretendemos postar novos mapas e outros aperfeiçoamentos. O free, agora, está funcionando mais como marketing. Ele tem 50% do que é pago.

EE: Pra quem quer programar seu jogo. Quanto se ganha por download?

Santos e Barcellos: Tem as taxas das lojas, mais o imposto brasileiro, que é o que, principalmente, nos prejudica. Fica mais ou menos 30% pra loja (no caso Google Play), mais a parte do imposto. No fim, metade fica para ti. No jogo free, só ganha pelos anúncios colocados no teu jogo.

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org