Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
PALESTRA
25 de maio de 2017

Palestra na Famecos abordou ditadura no Chile e do momento político no Brasil

"Chile, anos 70" falou do passado, mas também do presente
Por Marilia Oliveira e Victor Eduardo Siviero Alves
Diálogos com a Memória

Da esquerda para a direita, João Carlos Bona Garcia, Gilberto Lima, Marco Antonio Villalobos e o Juremir Machado. (Foto: Júlia Brasil)

O auditório da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS sediou, nessa quarta-feira (24), a exposição Diálogos com a Memória, com o tema “Chile, anos 70: corporações, campanha, governo e morte de um presidente democrata”. O evento foi proposto pelo Núcleo de Comunicação e Memória Institucional, o qual proporcionou o debate entre os expositores João Carlos Bona Garcia, Gilberto Lima, Marco Antonio Villalobos (Marquinho) e  Juremir Machado.

O debate, conduzido por Marquinho, transitou entre o passado e o presente. Bona Garcia trouxe relatos históricos sobre o golpe militar de Augusto Pinochet contra o presidente Salvador Allende, no Chile, enquanto Juremir comparava os fatos apresentados com o momento político atual do Brasil. Lima trouxe à discussão um questionamento pertinente: “Os militares aprenderam? O Brasil caminha para uma divisão igual à do Chile?”. Segundo o professor, as coisas se repetem e ele não ficaria espantado caso acontecesse um novo golpe militar no Brasil: “Não acreditava no impeachment da Dilma, não acreditava na deterioração tão rápida de Temer e não acredito nos militares, mas pode acontecer”. Compartilhando o mesmo pensamento, Bona Garcia afirma que ainda existe a possibilidade de os militares chegarem ao poder. “Já errei no Chile, não da para desacreditar”, diz.

Fundador do Partido Operário Comunista (POC) e da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), ambos em Passo Fundo, Bona Garcia comenta sobre a época em que viveu no Chile e destaca seu encontro com o ex-presidente do país. “Allende deu permissão para que nós, brasileiros, morássemos no Chile. Ele exigiu apenas que conseguíssemos emprego e documentos”, conta. Primeiro ex-preso político que assumiu o cargo de Juiz do Tribunal de Justiça Militar, o ativista de esquerda ocupou o cargo de diretor do banco Banrisul e criou o setor de memórias, que funciona até hoje. Além disso, trabalhou nos Correios com o objetivo de reunir documentos memoriais, especialmente do Departamento de Ordem e Política Social (DOPS). Passando por Argentina, Argélia e França, Bona Garcia, por conta de sua militância, residiu em diversos países e revela uma curiosa história de quando tentou se mudar para a Alemanha, dividida, na época, entre Ocidental e Oriental. “Sem documentos, eu batia nas embaixadas. As duas alemanhas, inclusive, também negaram o meu pedido. Tentei ir para a Alemenha do Oriente, eles eram comunistas, mas não me deixaram viver lá porque eu não tinha afiliação com o Partido Comunista do Brasil (PCB). Depois tentei ir para a Alemanha do Ocidente, porém eles não me deixaram entrar porque eu era comunista”, brinca.

A palestra foi encerrada com o documentário “Harald Edelstam, o Nome da Esperança”, que apresenta a história do então embaixador sueco no Chile, em 1973, que, após a queda do presidente Allende, salvou diversos presos políticos no país.

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org