Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
TECCINE
29 de outubro de 2014

Rossellini, Godard e Fassbinder na televisão

Como os cineastas europeus superaram a crise da indústria cinematográfica
Por Caroline Grüne
Foto: Maia Rubim

Leonardo Bomfim e Flávio Guirland participaram da palestra dessa terça-feira (Foto: Maia Rubim)

A decáda de 60 foi marcada pela ascensão da televisão e a crise da indústria cinematográfica. No contexto, grandes diretores e roteiristas migraram para o novo meio de comunicação. Em tempos de Nouvelle Vague e controle sobre a mídia, além de compartilharem seus compromissos com a militância política, Roberto Rossellini, Jean-Luc Godard e Rainer Weiner Fassbinder também têm em comum seus relacionamentos com a televisão. Na segunda mesa de terça-feira (28) do seminário A Vida em Fatias, em comemoração aos 10 anos do Teccine, aconteceu a palestra Autores do Cinema na TV: Rossellini, Godard e Fassbinder. Leonardo Bomfim, Flávio Guirland e Enéas de Souza contaram como três dos maiores diretores da história lidaram com os tempos escassos do cinema transformando sua arte em televisiva.

O Absolutismo – A Ascensão de Luís XIV, de Roberto Rossellini, foi o primeiro filme para televisão a ser comentado. Lançado em 1963, ajudou a melhorar a relação complicada entre TV e cinema. Produtor, diretor e roteirista, marginalizado e sem verba, sempre acreditou no papel do cinema e no conhecimento como poder. Rossellini foi uma figura de grande importância na história do cinema. A televisão foi um capítulo à parte em sua trajetória, como afirmou Leonardo Bomfim. O jornalista expôs o projeto ambicioso de Rossellini, que pretendia transformar momentos históricos em filmes realistas, uma enciclopédia visual, através da linguagem clássica e da típica troca de ensinamentos entre o diretor e seu público. Em vídeo, ouve-se Rossellini contar sobre como a televisão o fazia sentir-se mais livre para contar suas histórias. Destaca-se o poder do cineasta em impulsionar e estreitar a relação dos jovens com o cinema, por meio de sua imersão no meio televisivo, do uso de plano sequência, da exposição da evolução do pensamento humano e do cinema político.

Jean-Luc Godard, em sua crença no cinema como ferramenta que pensa e dá a pensar, sempre usou suas obras como arma política e máquina de desenvolvimento do pensamento. Conhecido por seu cinema de ensaio, polêmico e vanguardista, inserido na única geração que estava no meio da história do cinema e da história do século XX, usou os filmes como instrumento de reflexão e modo de contar a história. Em suas fases, o cineasta preocupou-se em quebrar os padrões clássicos, expor militância explícita e estreitar sua relação com o contar da história do cinema. Evidencia-se a conjunção de elementos de som, imagem e texto escrito na narrativa. O professor de Produção Audiovisual Flávio Guirland apresentou Histórias do Cinema, filme em que Godard conta trajetória do cinema se inserindo no relato. Por meio de documentos, o cineasta trabalhou como historiador e teletransportou-se para papel ativo no fazer do relato. “Godard relata suas memórias como se fossem contadas através do cinema”, disse Guirland.

O crítico Éneas de Souza responsabilizou-se por apresentar a obra se Rainer Werner Fassbinder, através da série de 15 capítulos Berlin Alexanderplatz. É exposto o apreço de Fassbinder por retratar a realidade alemã por intermédio de marginais. O filme inicia com o personagem principal, Franz Biberkopf, sendo liberto do cárcere. Realidade montada, cenas teatralizadas, construção do lugar e terceira dimensão da imagem associados ao refinamento do cineasta destacam a preocupação do diretor por inserir o público na narração audiovisual. Em 15 horas, o melodrama (ou trama de destruição) intensifica a relação do sujeito com a realidade montada. Fassbinder pensa pela imagem no intuito de provocar reflexão através do realismo. “Se vocês assistirem ao filme e relacionarem ao que vivemos atualmente, vocês ganharão muito”, finalizou Enéas.

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org