Logo PUCRS PUCRS Universidade PUCRS Administração PUCRS Unidades PUCRS Graduação PUCRS Pós-graduação PUCRS Extensão PUCRS Biblioteca PUCRS Vestibular
COMUNICAÇÃO
27 de dezembro de 2016

Tempo de lazer: dicas de livros para ler durante as férias

Seis sugestões de leitura feitas por professores da Famecos e outras 12 obras selecionadas para aumentar o repertório cultural
Por Júlia Bueno
Ensaio realizado na Biblioteca Irmão José Otão, da PUCRS (Foto: Natalia Pegorer/Famecos/PUCRS)

Ensaio realizado na Biblioteca Irmão José Otão, da PUCRS (Foto: Natalia Pegorer/Famecos/PUCRS)

Entrou finalmente em férias e não sabe o que ler? Ou tem milhões de livros na estante, mas mesmo assim quer outras dicas de leitura? Seja qual for o momento que esteja passando, o portal Eu Sou Famecos vai ajudar você! Com o intuito de estimular o gosto pela leitura – tanto por obras clássicas e lançamentos, quanto por histórias que impactaram a vida de cada um –, seis professores da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS indicam livros para você expandir vocabulário, aproveitar o tempo de lazer e absorver conhecimento. Além das sugestões, outros 12 livros foram selecionados como forma de diversificar o leque de opções. Boa leitura!

 

 

 

 

CaminharUmaFilosofia1. “Caminhar, uma filosofia” – Frédéric Gros

Sugestão do professor do curso de Jornalismo Eduardo Seidl: “Não há fotojornalismo sem caminhar. É imprescindível”

Propõe uma reflexão sobre o ato de caminhar. O autor explora a literatura, a história e a filosofia, apresentando o exemplo de grandes pensadores que encontravam inspiração caminhando: Rimbaud e a tentação da fuga, Gandhi e a política de resistência, sem esquecer Kant e suas caminhadas cotidianas em sua cidade natal.

 

 

 

 

ainvencao_morel_gde2. “A invenção de Morel” – Adolfo Bioy Casares

Sugestão da professora do curso de Publicidade e Propaganda Cristina Schroeder de Lima: “Grande reflexão sobre a questão da imagem”

Narra a aventura de um fugitivo que chega a uma ilha na qual encontra um grupo estranho de pessoas, entre elas uma mulher que o atrai. Mas o segredo do enredo está em uma máquina, que pode ter sido criada para dar imortalidade às pessoas.

 

 

1984

3. “1984” – George Orwell

Sugestão da professora do curso de Jornalismo Fernanda Cristine Vasconcellos: “Todos os jovens precisam ler pelo menos uma vez na vida. Permite entender que tudo tem dois lados na vida e que é necessário ver a vida com menos inocência e mais clareza. Ajuda a enxergar além da superfície”

Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que ‘só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade – só o poder pelo poder, poder puro.’

 

 

2c2c7bc2-6ed9-4e64-a0af-99283d120be4_ritaleeautobiografiacapalivro

4. “Rita Lee – Uma autobiografia” – Rita Lee

Sugestão da coordenadora do Espaço Experiência Paula Puhl: “Figura feminina singular no rock brasileiro”

Do primeiro disco voador ao último porre, Rita é consistente. Corajosa. Sem culpa nenhuma. Tanto que, ao ler o livro, a sensação de estar diante de uma bio não autorizada, tamanha a honestidade nas histórias, é natural. A infância e os primeiros passos na vida artística; sua prisão em 1976; o encontro de almas com Roberto de Carvalho; o nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos; os tropeços e as glórias. Rita Lee escreveu, escolheu as fotos e criou as legendas – até decidiu a ordem das imagens –, fez a capa, pensou na contracapa, nas orelhas.

 

Capa Foi-se o Martelo V3 RB.indd

5. “Foi-se o martelo” – Ben Lewis

Sugestão do professor do curso de Jornalismo Marco Antônio Villalobos: “Estou lendo pela segunda vez. É fantástico”

As piadas sobre o comunismo são o mais estranho, engraçado e talvez até o mais significativo dos legados daqueles oitenta anos de experimentação política, na Rússia e no Leste Europeu. Ben Lewis conta o que realmente aconteceu nesse período por meio das piadas e das histórias das pessoas que as contavam – muitas delas acabaram no Gulag, embora outras tenham desfrutado de altos cargos ou se tornaram estrelas do teatro e do cinema.

 

 

602105_610

6. “Na natureza selvagem” – Jon Krakauer

Sugestão da professora do curso de Relações Públicas Silvana Sandini: “Leitura agradável”

Depois de terminar a faculdade com brilhantismo, Chris McCandless, jovem americano saudável e de família rica, doa todo o dinheiro que tem, abandona o carro e a maioria de seus pertences, adota outro nome e some na estrada, sem nunca mais dar notícias aos pais. Dois anos depois é encontrado. Por onde andou e o que buscava? Quem era realmente Chris McCandless? Para responder a essas perguntas, Krakauer refaz a longa saga do aventureiro até o dia em que o acharam.

 

Outras sugestões

 

21491255_41. “Capitães da Areia” – Jorge Amado

Narra a história da vida urbana de meninos pobres e infratores que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. O livro revela os personagens, cada um deles com suas carências e suas ambições – do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca.

 

 

 

 

imagem2. “Admirável mundo novo” – Aldous Huxley

Escrito em 1931, é uma “fábula” futurista relatando uma sociedade completamente organizada, sob um sistema científico de castas. Não haveria vontade livre, abolida pelo condicionamento; a servidão seria aceitável devido a doses regulares de felicidade química e ortodoxias e ideologias seriam ministradas em cursos durante o sono.

 

 

 

25099413. “A insustentável leveza do ser” – Milan Kundera

É um livro em que o desenvolvimento dos enredos erótico-amorosos se conjuga com extrema felicidade à descrição de um tempo histórico politicamente opressivo e à reflexão sobre a existência humana como um enigma que resiste à decifração – o que lhe dá um interesse sempre renovado. Quatro personagens protagonizam essa história – Tereza e Tomas, Sabina e Franz.

 

 

 

 

563234. “Grande Sertão: Veredas” – João Guimarães Rosa

O autor utiliza da linguagem própria do sertão para que Riobaldo conte sua história. Rosa busca apresentar a vida dos personagens de seu próprio ponto de vista, narrando a vida de jagunço com suas características – o amor, a morte, o sofrimento, o ódio e a alegria.

 

 

 

sapiens_9788525432186_hd5. “Sapiens – Uma breve história da humanidade” – Yuval Noah Harari

O autor repassa a história da humanidade, ou do homo sapiens, desde o surgimento da espécie durante a pré-história até o presente. Ele relaciona os fatos com questões do presente e os questiona de maneira surpreendente. Além disso, para cada fato ou crença que temos como certa hoje em dia, o autor apresenta as diversas interpretações existentes a partir de diferentes pontos de vista, inclusive as muito atuais, e vai além, sugerindo interpretações muitas vezes desconcertantes.

 

 

capa-o-valor-do-amanha

 

6. “O valor do amanhã” – Eduardo Giannetti

O autor defende que os aspectos dos juros são parte de um fenômeno natural maior, tão comum quanto a força da gravidade e a fotossíntese. O autor procura mostrar que questões concretas – como a alta taxa de juros no Brasil – podem ter raízes comportamentais e institucionais ligadas à formação da sociedade

 

 

 

g1-enclausurado-capa7. “Enclausurado” – Ian McEwan

O narrador deste livro é nada menos do que um feto. Enclausurado na barriga da mãe, ele escuta os planos da progenitora para, em conluio com seu amante que é também tio do bebê, assassinar o marido.

 

 

 

 

 

 

morangos-mofados-caio-fernando-abreu8. “Morangos Mofados” – Caio Fernando Abreu

Foi publicado em 1982, período caracterizado pela abertura política e pelo início de um processo de democratização em conseqüência do fim da Ditadura Militar no Brasil. Trata-se de um livro de contos onde, em quase todos eles, o escritor aborda seus temas preferidos: o estranhamento, a solidão, a dor e o sentimento de marginalização.

 

 

 

 

Unknown9. “A sangue frio – Relato verdadeiro de um homicídio” – Truman Capote 

Fruto de investigação, feita ao longo de meses, a obra combina a objetividade factual e os recursos da narrativa de ficção, contando a história da chacina da família Clutter e dos autores do crime, executados em 1965. A sangue frio é um marco na história do jornalismo e da literatura dos Estados Unidos. Reflexão sutil sobre as ambigüidades do sistema judicial do país, o texto desvenda o lado obscuro do sonho americano.

 

 

 

 

imagem10. “Rota 66 – A história da polícia que mata” – Caco Barcellos 

Rigorosa investigação sobre o trabalho da Polícia Militar de São Paulo entre as décadas de 1970 e 1990. Caco Barcellos denuncia a atuação irregular da Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota) como um verdadeiro aparelho estatal de extermínio. Um esquadrão da morte responsável pela morte de milhares de pessoas. A maioria delas inocente.

 

 

amyr klink - cem dias entre ceu e mar_9fee5785b686640d611302fbd1322dee11. “Cem dias entre céu e mar” – Amyr Klink 

Relato de uma travessia considerada incomum – mais de 3500 milhas (cerca de 6500 quilômetros) desde o porto de Lüderitz, no sul da África, até a praia da Espera no litoral baiano, a bordo de um pequeno barco a remo. Amor Klink se propõe a narrar, passo a passo, os preparativos, as lutas, os obstáculos e os presságios que cercaram a viagem.

 

 

 

 

18810bf0-bfbe-4d8d-a55d-d7b31f5aa02812. “Nemesis” –  Philip Roth

Nêmesis integra uma tetralogia de novelas formada também por Homem comumIndignação e A humilhação. Trata-se de mais um exemplo sintomático da intensidade da produção de Philip Roth, que volta a estimular, com doses altas de melancolia, o embate entre o protagonista e sua própria finitude. Na escrita poderosa de Roth, há poucas chances de o herói sair vitorioso.

 

 

 

 

* Todas as sinopses foram extraídas do site da Livraria Cultura.

Agradecimento especial a Sabrina Vicari, bibliotecária coordenadora da Biblioteca Irmão José Otão, da PUCRS, a Valmir Jr, auxiliar na mesma unidade, e a todos os colaboradores da biblioteca que auxiliaram na produção da foto de destaque desta reportagem. 

Eu Sou Famecos no Facebook Eu Sou Famecos no Flickr Eu Sou Famecos no Issuu Eu Sou Famecos no Mixcloud Eu Sou Famecos no Scribd Eu Sou Famecos no Twitter Eu Sou Famecos no Ustream Eu Sou Famecos no YouTube RSS do portal Eu Sou Famecos
Marista, Famecos, Espaço Experiência e PUCRS Site Famecos Site Eu Sou Famecos Site PUCRS
Faculdade de Comunicação Social - Famecos/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106 - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br
Desenvolvido por Espaço Experiência Wordpress.org